Por Rogério Silva Temporini -------------------- contato >> rogerio.carlos@usp.br

terça-feira, 5 de abril de 2016

Igrejas do Bairro da Penha - S.paulo

Igreja da Penha - Bairro da Penha - São Paulo 2016


Igreja do Rosário - Bairro da Penha - São Paulo 2016

Igreja do Rosário - Bairro da Penha - São Paulo 2016



sexta-feira, 29 de junho de 2012

Tupi 7 – Transformações Fonológicas


Tupi 7 – Transformações Fonológicas
  

1. Na composição de dois termos que envolva substantivos, adjetivo, verbos, posposição, etc, há um conjunto de regras a serem observadas:

1.1   Para palavras terminadas em KA BA RA
1) Se o primeiro termo terminar com vogal, e o segundo começar em vogal, a primeira cairá:
 pak(a)-obypak-oby  paca Azul

2) No caso do segundo começar em consoante:
 pak(a)-porang
O “a” cai, mas como não pode haver encontro consonantal em Tupi, cai também a consoante; ficará:
pa-porang  

  Em ambos os casos, se o segundo termo terminava em consoante, deverá ganhar A:
                     pa-poranga


1.2  Para palavras começadas em K T P S

Numa composição ou afixação, se o primeiro termo terminar com nasal e o segundo termo começar com uma das oclusivas “K” “T” “P” ou “S” , ocorrerão as seguintes transformações fonéticas no segundo termo:

K -----  NG
            irū-katu       >  irū-ngatu        -  companheiro bom; bom companheiro
      
T------  ND
            kunhã-taba  >  kunhã-ndaba  -  aldeia da mulher

P------  MB ou M    (caso importante, pois afeta o muito usado PE)
            nhū-pe        >  nhū-me            -  no campo

S------  ND
            nhū-so’o    >  nhū-ndo’o       -  animal/caça do campo 

Exceções:
A) Se no segundo termo houver um fonema nasal:  kunumῖ-poranga , nhū-piranga
            B) PE interrogativo: kunhã-pe o-ikó taba-pe? (É a mulher que mora na aldeia?)

2  S vira X após I ou Î

sy (mãe)           >      i xy  (mãe dele)
sykyîé (medo)  >     i xykyîé (o medo dele)
su’u (morder)   >     o-î-xu’u  (mordo-o)


A História me fascina; propriamente, a história de minha cidade(São Paulo) e de sua formação, as migrações no estado de São Paulo, a história da ferrovia e as formações do folclore e da cultura musical do Sudeste.

Mas.. as "estórias" também sempre me envolveram e brilham ainda em minha memória; as "estórias" contadas pelo meu avô, sobre entidades folclorescas da escuridão, e suas digressões... Gosto do Lobisomen e do boitatá... E conversaremos sobre eles brevemente!